Prêmio Impactos Positivos tem inscrições abertas

Com o objetivo de dar visibilidade e voz às iniciativas, projetos e pessoas que impactam positivamente o mundo, o Prêmio Impactos Positivos está com inscrições abertas.

Na segunda edição do prêmio, mais do que reconhecer, há a busca por engajamento e inspiração, o que ajuda a transformar realidades.

O processo de participação inclui inscrições, votação dos 12 finalistas (três em cada uma das quatro categorias – Impacto Ambiental, Impacto Cultural, Impacto Econômico e Impacto Social), apresentação dos projetos dos finalistas e votação final com um evento de premiação no dia 25 de novembro.

Para a 2ª edição do Prêmio Impactos Positivos, cada categoria conta com o apoio de “Embaixadores” para engajar e divulgar o prêmio em diferentes plataformas (videos, podcasts etc). O embaixador da categoria Social é o chef Vinícius Rojo, da Rojo Gastronomia, que criou a startup de comida caseira Mama Filó.  Já a embaixadora da categoria Ambiental é a consultora em turismo sustentável, Ana Duék. Por meio de sua plataforma Viajar Verde, ela incentiva a preservação do meio ambiente durante as viagens.

Para a categoria Economia, o embaixador é Mauro Calil, professor e referência na área de finanças pessoais e fundador da Academia do Dinheiro, projeto voltado para a disseminação da educação financeira no Brasil e para todos. A categoria Cultural, por sua vez, tem como embaixadora Giovanna Menegon, atriz e apresentadora do Programa Cultura & Design, na TV Cultura.

O 2º Prêmio Impactos Positivos destacará os projetos que buscam fazer a diferença nos âmbitos cultural, econômico, social e ambiental, seja impactando o meio ambiente e o cenário cultural de uma comunidade, seja atuando por meio de modelos econômicos sustentáveis e inclusivos, ou contribuindo para melhorar a vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Na primeira edição, em 2020, os projetos Salva Comida, que visa minimizar o desperdício de alimentos; Roteiros Roraima, que promove a vivência de turistas com comunidades indígenas; Brasil Food Safaris, que realiza expedições gastronômicas para auxiliar famílias que vivem da atividade turística, estimulando a visitação especialmente nos períodos da baixa temporada; e Pertence, um clube de socialização para pessoas com deficiência intelectual de Porto Alegre, foram os grandes vencedores.  

Com mais de 80 projetos inscritos no ano passado, o 2º Prêmio Impactos Positivos espera uma adesão ainda maior este ano.

Neste ano, os projetos mais votados em cada categoria serão premiados com:

  • Uma (1) mentoria sobre Empreendedorismo Sustentável ministrada pela Global Impact Network, a primeira rede de impacto social do mundo que rastreia, mede e mostra os impactos positivos realizados em benefício do desenvolvimento sustentável;
  • Crédito especial no ecossistema sustentável do Crédito Pérola;
  • Um (1) ano de assinatura grátis no ecossistema do Instituto Capitalismo Consciente;
  • Uma (1) hora de mentoria em Marketing Digital com a especialista Marta Poggi;
  • Uma (1) hora de sessão ” Uma Jornada Interior” com a terapeuta Luana Fonseca;
  • Duas (2) horas de mentoria em Gestão de Negócios com experts da Mulheres do Turismo em Rede

O prêmio tem ainda a promoção das plataformas Lado B ViagemLipe Travel ShowAcordei Quero ViajarViramundo e MundoviradoLiveMore & TraveMoreViajar pelo MundoMundo pra ViverTravelterapiaTravelpedia e Patty Leone.

As inscrições estão disponíveis no site https://impactospositivos.com/ até 30 de setembro.

Vinícola Campestre promove encontros online

Para celebrar o lançamento dos rótulos de vinhos finos Nova Morada, a vinícola Campestre convidou cinco influenciadores digitais para participarem de uma conversa sobre os vinhos dos Campos de Cima da Serra. A região é um novo destino produtor no Rio Grande do Sul. 

Serão quatro encontros online no mês de setembro, nos dias 01, 10, 18 e 24, sempre às 20h. As conversas serão comandadas pelos enólogos André Donatti e Flávio Novello e ocorrem no instagram @vinicolacampestre

A primeira live, no dia 1 de setembro, terá como convidado Leandro Baena, que é sommelier e autor do perfil Choro da Videira (@chorodavideira). No encontro será apresentado o espumante Nova Morada método champenoise (tradicional), que tem edição limitada a 60 garrafas. 

O segundo encontro, no dia 10 de setembro, será com o wine influencer William Westphal, autor do perfil WW Sommelier (@wwsommelier). Na ocasião será apresentado o Nova Morada Assemblage, safra 2018, que inclui uvas merlot, tannat, malbec e shiraz.

O vinho Nova Morada Merlot será o tema do encontro com o advogado Matheus Faganello e a empresária Anna Kath, que são autores do Desenrolhando (@desenrolhando). O bate-papo será no dia 18 de setembro.

A última live será no dia 24 de setembro com o sommelier em formação Ricardo Souza, que administra o perfil Bons Vinhos (@bons_vinhos). Será apresentado o Nova Morada Tannat. 

A marca Nova Morada surge em homenagem à construção de um projeto de enoturismo, inaugurado no início do ano em Vacaria (RS). De acordo com o enólogo André Donatti, devido ao terroir, os vinhos produzidos na região dos Campos de Cima da Serra são mais mineral, têm aromas de excelente intensidade e costumam ser vinhos de potencial e longevidade.

Entre as variedades que mais se adaptaram à região foram sauvignon blanc, pinot noir e merlot, mas a vinícola Campestre apostou em outras variedades e vem surpreendendo especialistas principalmente com malbec e sangiovese.

  Além do Nova Morada, a Campestre atua no setor de vinhos finos há 20 anos com o rótulo Zanotto, marca que em 2020 já recebeu 12 prêmios internacionais.

Anote aí

01/09 – 20h
Choro da Videira + enólogo André Donatti
Tema: Vinhos dos Campos de Cima da Serra + Espumante Nova Morada 

10/09 – 20h 
WWSommelier + André Donatti*
Tema: Vinhos dos Campos de Cima da Serra + Assemblage

18/09 – 20h
Desenrolhando + André Donatti + Flávio Novello
Tema: Vinhos dos Campos de Cima da Serra + Merlot

24/09 – 20h
Bons Vinhos + André Donatti
Tema: Vinhos dos Campos de Cima da Serra + Tannat

Vinícola Campestre lança cerveja artesanal Per Birra

Ao completar 52 anos, a Vinícola Campestre, maior produtora de vinhos de mesa do Brasil, ingressa no mercado cervejeiro e lança a cerveja artesanal artesanal Per Birra. A busca por um novo espaço no mercado de bebidas começa com a  estreia dos estilos Pilsen e Stout. 

A concepção da nova marca remete à união do nome do vinho mais vendido da Vinícola Campestre, o Pérgola, e cerveja em italiano (birra). O ingresso no novo segmento faz parte de um projeto de expansão da vinícola, que inclui também um grande centro de enoturismo com uma nova vinícola, em Vacaria (RS). 

“A marca de cerveja artesanal Per Birra amplia a linha de bebidas e atinge um público diferenciado, aumentando também nossa variedade, que já inclui sucos, vinhos, coolers e espumante”, explica o enólogo André Donatti, gerente-geral da empresa.

Leve e com coloração dourada, a cerveja artesanal Per Birra Pilsen tem baixo amargor. É perfeita para acompanhar petiscos fritos, comidinhas de bar e peixes brancos.

A cerveja artesanal Per Birra Sout tem tons de café e notas de chocolate. Por isso, pode ser bem acompanhada com feijoada, embutidos e sobremesas à base de chocolate.

As duas versões da bebida já estão à venda no e-commerce da empresa, pelo site www.vinicolacampestre.com.br ou no WhatsApp (54) 99655-3377.

A história da Vinícola Campestre

A produção de vinhos da Vinícola Campestre começou em 1968, na cidade de Campestre da Serra (RS). Ao longo de sua história, a vinícola ficou conhecida devido à linha de vinhos de mesa Pérgola, o que a transformou em líder de vendas neste segmento.

Vinícola Campestre fica em Vacaria (RS) e ingressa no mercado de cervejas com a marca Per Birra. Foto: Way Content, divulgação

A linha de vinhos finos surgiu em 2000, com os rótulos Zanotto nas variedades cabernet sauvignon e merlot. Em 2015, iniciou o projeto de expansão da vinícola, com a construção de uma nova vinícola em Vacaria (RS), que foi inaugurada em março de 2019 e, em janeiro de 2020, abriu as portas para os visitantes.

Na cidade dos Campos de Cima da Serra, a vinícola mantém um complexo enoturístico com visitação guiada e degustação.

Atualmente, a Vinícola Campestre produz vinhos finos, espumantes, vinhos de mesa, cervejas, sucos e coolers a partir das marcas Pérgola, Zanotto, Nova Morada e Per Birra. No total, são mais de 40 produtos.

O volume de produção das bebidas chega a 30 milhões de litros ao ano, e as uvas varietais são produzidas na unidade de Vacaria e cerca de 740 famílias também são fornecedoras de uvas de mesa para a vinícola.

Você também pode gostar deste conteúdo

Grife de vinhos finos Nova Morada é lançada pela vinícola Campestre

Em ato solidário, 41 escritores produzem livro sobre quarentena

Depois de perceber os desafios do período de isolamento devido ao coronavírus, a editora gaúcha Palavra Bordada acaba de lançar um livro sobre quarentena.

A obra “Quarentenas – textos de uma Quarentena Criativa” parte de um grande um ato solidário, no qual 41 escritores brasileiros se reuniram e transformaram  diferentes perspectivas da vida durante o isolamento social em livro. 

O conteúdo revela situações do dia-a-dia quando o mundo precisou parar para conter o avanço do coronavírus. Temas como maternidade e home office, solidão, terceira idade e situações inusitadas fazem parte dos 40 textos. O livro pode ser adquirido em formato e-book ou impresso por meio da editora UmLivro .

“A ideia foi abordar diferentes temas e situações recorrentes. Alguns mostram o retrato da realidade diante da quarentena, outros trazem reflexões e situações inusitadas”, explica a designer Camila Provenzi.

No percurso das 180 páginas do livro que tem na capa a ilustração do artista visual gaúcho Jotapê Pax, estão registrados momentos vividos por autores residentes nos estados do Amazonas, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e no Distrito Federal. Eles foram selecionados numa disputa que contou com a participação de 125 autores. Entre os escolhidos, 69,4% terão seus textos publicados pela primeira vez por uma editora.

“Além oferecer um importante conteúdo para o momento que estamos vivendo, o livro é uma oportunidade para escritores ainda não conhecidos terem sua primeira publicação”, explica a jornalista Carolina Rocha, sócia da editora.

O livro faz parte do projeto Quarentena Criativa, lançado para comemorar os cinco anos da editora e para realizar um gesto solidário em meio à pandemia. Entre as etapas do plano estava a seleção e curadoria de textos. A partir do conteúdo recebido e selecionado, a Palavra Bordada fez a preparação dos textos, a revisão, a edição, o projeto gráfico, a diagramação e os registros. A obra está à venda pelo valor de R$ 19,90 na Amazon.com.br.

Livro tem renda destinada à instituição social

O valor resultante da venda dos livros digitais será repassado ao Centro de Educação Profissional São João Calábria, instituição sem fins lucrativos de Porto Alegre (RS) que oferece cursos de qualificação profissional para jovens de 16 a 22 anos e realiza projetos sociais. Todos os serviços realizados pela Palavra Bordada são voluntários, ou seja, não são remunerados pela comercialização do e-book.

Inspirada no perfil dos escritores selecionados, a editora Palavra Bordada inicia um trabalho de fortalecimento da área editorial dedicada para novos autores. Neste segmento de auto publicação, passa a oferecer os serviços de curadoria de conteúdo, edição de textos, preparação, revisão, projeto gráfico, distribuição, divulgação e gerenciamento da venda de livros. Porém, com modelo de negócio enxuto e diferenciado das editoras tradicionais.

  “A partir de agora, podemos acolher autores que as grandes editoras não estavam conseguindo. Será mais uma possibilidade no mercado editorial”, afirma a empresária e sócia Maribel Lindenau.

Todas as estratégias de comunicação da editora Palavra Bordada são pensadas em conjunto com a agência Way Content.

A história da Palavra Bordada

A origem do nome Palavra Bordada remonta a 2010, quando as jornalistas Carolina Rocha e Denise Waskow, sócias-fundadoras, estiveram em Portugal e conheceram a tradição dos Lenços dos Namorados, um tipo de bordado português característico da região do Minho.

O trabalho minucioso foi inspiração para a dupla, que começou a planejar uma empresa capaz de produzir conteúdo duradouro, perene, feito com carinho e cuidado.

A editora Palavra Bordada nasceu em 2015, sob o comando das duas. Em 2019, Denise deixou a sociedade na empresa para morar em Portugal. Foi quando a relações-públicas Maribel Lindenau e a designer Camila Provenzi, que cursavam com Carolina o MBA em Book Publishing, se tornaram sócias da Palavra Bordada.

Com a nova equipe, a editora cresceu, modernizou a identidade visual e expandiu o seu portfólio de serviços. Hoje é especializada na produção de conteúdos voltados à divulgação da expertise e do posicionamento empresarial, à preservação de histórias institucionais e à valorização de memórias pessoais.